O Método Halliwick de Natação para Deficientes foi criado por James McMillian em 1949 na escola Halliwick para Meninas em Londres.

O método é baseado nos princípios científicos da hidrostática, hidrodinâmica e mecânica dos corpos.

O método parte do princípio de que todos nós, deficientes ou não, temos a capacidade de nos tornarmos independentes na água. Por isso desde a primeira sessão, os alunos ou pacientes são chamados de nadadores.

Os nadadores são ensinados em uma relação de um instrutor para cada paciente até que a independência completa seja alcançada. O par instrutor-nadador se torna uma unidade dentro das atividades do grupo assim o nadador tem as vantagens da interação social com os outros nadadores ao mesmo tempo que tem a atenção permanente do seu instrutor. Através de jogos próprios para sua idade e habilidade, grupos são orientados sobre as propriedades da água e como controlar seu equilíbrio.

O manuseio correto do nadador pelo instrutor permite que estes experimentem uma mobilidade desconhecida em solo. Após os primeiros estágios de ajuste mental e quando os princípios básicos de equilíbrio são aprendidos, os nadadores chegam a um estágio de desprendimento em relação ao instrutor e assim experimentará pela primeira vez uma independência completa de movimento.

Os nadadores são ensinados a manter uma posição de respiração segura, a como chegar a uma posição segura se necessário e a controlar a expiração quando a face estiver submersa.

No método Halliwick não são usados flutuadores.

O método é dividido em 10 estágios, também conhecido como programa de 10 pontos.

Programa de 10 pontos

  • 1. Ajuste mental e desprendimento

Neste estágio treina-se o ajuste a situação, a água e ao instrutor (terapeuta). É necessário controlar a respiração e estar relaxado no ambiente aquático.

  • 2. Controle da rotação Sagital – restauração do equilíbrio

Treina-se o movimento de rotação na água. Todos os movimentos são importantes para que o nadador consiga levar o rosto para uma posição de respiração segura e consigam independência no ambiente aquático.

Rotação transversal

Rotação transversal

  • 3. Controle da rotação transversal
  • 4. Controle da rotação longitudinal
  • 5. Controle da rotação combinada
  • 6. Empuxo, inversão mental

Esse princípio mostra que é possível flutuar, o que deixa o nadador mais seguro, mas para vivenciar este princípio é importante ter controle respiratório.

  • 7. Equilíbrio em quietude

Conseguir flutuar em uma posição de respiração segura e estável para poder descansar.

  • 8. Deslizamento na turbulência

O nadador não se movimenta, fica em flutuação enquanto o instrutor o faz deslizar na água através da turbulência.

  • 9. Progressão simples

O nadador faz remadas simples.

  • 10. Movimento do Halliwick

Aqui o nadador já consegue dar algumas braçadas.

Os dez pontos contem os três estágios de aprendizado motor. O conceito é muito popular em reabilitação neurológica e pediátrica e freqüentemente é chamado de “Bobath na água”.

About these ads